Gravidez na adolescência

0

A adolescência é o período da vida que vai dos 10 anos até os 19 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde, é uma fase cheia de descobertas. Uma fase onde os picos de níveis hormonais, podem levar ao início da vida sexual, que por diversos motivos, geralmente acontece de forma desprotegida. É por isso que a gravidez na adolescência é tão comum.

 Gravidez na Adolescência

Gravidez na Adolescência Imagem retirada da Internet.

A maior parte dos jovens simplesmente ignoram os métodos contraceptivos ou esquecem deles. E isso, além do aumento de doenças sexualmente transmissíveis nessa faixa etária, os casos de gravidez na adolescência também tem aumentado.

De acordo com dados coletados no ano de 2011, o país teve 2.913.160 nascimentos, sendo que 533.103 deles, são de mães com idade entre 15 e 19 anos, e pasmem, 27.785 nascimentos de mães de 10 e 14 anos. Sem mencionar que cerca de 30% das meninas que passam por uma gravidez na adolescência, acabam tendo um segundo filho um ano após o parto do primeiro.

Causas da gravidez na adolescência

Existem muitas causas que promovem uma gravidez na adolescência. Elas podem ser:

  • Ignorar ou desconhecer métodos contraceptivos;
  • Esquecimento do uso de proteção, causados pelo uso de bebidas ou drogas;
  • Casos de violência sexual, muito comuns infelizmente;
  • Existem mesmo alguns casos em que ela foi desejada.

Independente da causa, a gravidez na adolescência é um problema de saúde pública. Além de poder causar riscos à saúde da mãe e do bebê, ela tem um grande impacto socioeconômico. Já que além do maior índice de gravidez nessa faixa etária ser dentro das classes sociais mais baixas, muitas vezes as grávidas abandonam os estudos e encontram maiores dificuldades para conseguir emprego.

Riscos de uma gravidez na Adolescência

O sexo na adolescência pode ser crítico tanto para a mulher, como para o homem. Essa é uma fase de descobertas, onde as pessoas estão formando suas identidades, conhecendo conceitos novos, compartilhando ideias e deixando a infância para trás, enquanto se preparam para a fase adulta. Além de todas essas informações, ainda existe a puberdade, que traz mudanças fisiológicas e serias e permanentes.

Quando acontece uma gravidez na adolescência, as consequências podem ser bastante perturbadoras, tanto para os jovens envolvidos como para as famílias. Uma gestação nessa fase da vida, gera uma série de conflitos e crises, já que a menina pode não estar com o corpo totalmente preparado para receber um filho, e tanto os pais como os familiares podem não estar prontos para assumir tamanha responsabilidade. A maior parte das meninas quando engravidam nessa fase da vida, optam por:

  • Sair de casa;
  • Fazer um aborto ilegal e colocar a própria vida em risco;
  • Largar os estudos;
  • Abandonar o filho a própria sorte;
  • E algumas pensam até mesmo em suicídio.

É preciso que a jovem nessas circunstâncias, seja instruída, recebendo todas as informações necessárias e apoio. Para que consiga levar a gravidez na adolescência com saúde, ou mesmo evita-la.

Muita gente acredita que os maiores problemas de uma gravidez na adolescência são a falta de maturidade dos pais e a renda baixa da família para criar essa nova vida. Mas na verdade, os problemas vão muito além dos fatores psicológicos e econômicos.

Uma menina que engravida muito cedo, pode apresentar diversos e sérios problemas durante a gestação, inclusive risco de morte. Entre os principais problemas que devem ser destacados, é possível citar:

  • Riscos de prematuridade, e um bebê abaixo do peso;
  • Morte pré-natal;
  • Anemia;
  • Aborto espontâneo;
  • Pré-eclâmpsia e eclampsia;
  • Risco de ruptura do colo do útero;
  • Depressão pós-parto.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, no ano de 2004 houveram 274 mortes relacionadas a gravidez na adolescência. E essas mortes além de causas obstétricas, complicações na gestação, também estão relacionadas com tentativas de aborto, algo muito comum entre adolescentes grávidas. Além do grande número de mortes entre meninas gravidas, o número de mortalidade infantil entre os bebês nascidos de adolescentes, com idade menor do que  15 anos, também é muito maior, se comparado as gestações de mulheres entre 25 e 29 anos.

Apesar de todos esses riscos, vale informar que a maioria deles pode ser evitado com um acompanhamento médico eficiente, o pré-natal. O problema é que a maior parte das meninas que engravidam muito cedo, tentam esconder isso da família, e não procuram um pré-natal adequado. Além disso, ainda existem as que procuram meios de interromper a gestação, sem que ninguém saiba, o que além de poder levar a mãe a obtido, pode atrasar ainda mais a procura por um acompanhamento médico, ou até mesmo causar sérios problemas ao feto.

O apoio da família na gravidez na adolescência

É fundamental que a família entenda e apoie a jovem quando a gravidez na adolescência é descoberta. Só assim será possível evitar que a mãe não tome nenhuma atitude desesperada como sair de casa, abandonar os estudos ou mesmo procurar por um método de interromper a gravidez que poderá colocar sua vida em risco.

É preciso ponderar que em virtude de uma gravidez precoce, a jovem pode perder suas perspectivas de futuro. Com o apoio familiar, muita coisa pode ser evitada, e mesmo acrescentada na vida dessa jovem, desse bebê que está por vir, e no convívio familiar de um modo geral.

Leia também este artigo sobre “Gravidez passo a passo

Fonte: Brasil Escola

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: